A Caminho do mestre: meu primeiro encontro

Dilgo Khyentse Yangsi - Vershire 2010

Encontro com Dilgo Khyentse Yangsi Rinpoche

Bom, aqui vou eu retomando os posts sobre o meu encontro com Dilgo Khyentse Yangsi Rinpoche em Vershire, Vertmont, uma vila bastante interessante muito próxima da famosa Universidade de Dartmouth, na cidade de Hanover, New Hampshire, Estado vizinho ao de Vertmont, onde estávamos. Há vários vilarejos por lá e eu consegui ficar em um não tão perto de Vershire, porém muito simpático e perto de Hanover. Hanover para mim também era muito especial, pois meu único sobrinho, querido, lá estudou e pude visitar a Faculdade de Administração de Empresas onde ele esteve, a Tuck.

Nosso primeiro dia foi de muita expectativa, desde a subida pela montanha até Vershire, e a chegada ao Pema Osel Do Ngak Ling, tudo tão bem arrumado e tão lindo; atrás do templo foi montada uma tenda de apoio, onde nos serviam as refeições. Ficou uma disposição perfeita ao local

Primeira vista do Pema Osel Do Ngak Choling

Primeira vista ao Pema Osel Do Ngak Choling na nossa chegada

Estava bastante ancioso, cheio de devoção, afinal, iria em poucos minutos me encontrar com um mestre que somente conhecia por livros e citações e com quem tenho especial conexão desde meus primeiros passos no budismo. Por quê? Não sei, mas para mim foi assim: uma “brilhant moon” no meu caminho, em todos os sentidos.

Por isso, acredito, estar este post repleto de fotos e fatos e de fatos e fotos que procuram dar a base para os demais posts por vir.

E o altar! Tão lindo… O altar estava todo delicadamente preparado, detalhes que não se podia deixar de notar em meio a correria dos últimos ajustes para o começar dos ensinamentos do mestre reencarnado; a temperatura subia no ambiente, tive a nítida impressão, conforme as coisas a nossa volta iam se finalizando para o magno preludio.

Preparando o Shrine

Últimas preparações do altar

A hora chega, conseguimos um lugar no deck exterior, mas com uma bela vista para todo o interior.

Acompanhando o Yangsi Rinpoche estavam seus dois principais mestres Shechen Rabjam Rinpoche, neto de Dilgo Khyentse Rinpoche e praticamente o tutor do jovem Yangsi, principal responsável por toda a organização do tour mundial do jovem Yangsi pelo mundo.

Dizgar Kongtrül Rinpoche, aluno de Dilgo Khyentse Rinpoche e autor de muitas obras, como “Lights Comes Through – on Awakening to Our Natural Intelligence“; Kongtrül, que esteve na consagração do Palácio de Padmasambva, no nosso Khadro Ling, coordenou os trabalhos, nesse templo também por ele criado, sentado, durante todos os dias,  à direita de Yangsi Rinpoche.

Dzigar Kongtrül Rinpoche

Dzigar Kongtrül Rinpoche durante a iniciação

E também presente o grande seguidor de Dilgo Khyentse Rinpoche por anos a fio, tradutor e aluno do grande mestre,  autor da recente publicação que a todos recomendo, uma coletânea lindíssima dos trabalhos de seu mestre, “The Collected Works of Dilgo Khyentse, o biólogo e monge de origem francesa Matthieu Ricard.

Matthieu acompanhou Dilgo Khyentse por mais de 30 anos, como seu aluno, tradutor e colaborador.

Sua formação ajudou à comunidade budista tibetana ter hoje uma coletânea de milhares de fotos e centenas de filmes criteriosamente catalogados de seu mestre.

Este material, inclusive, permitiu a criação do maravilhoso filme sobre Dilgo Kyentse, “Brillhant Moon”, do diretor Neten Chokling, que assistimos mais à noite na Universidade de Dartmouth, com a casa cheia.

Estavam lá, também, do Brasil, Khandro, Lama Tsering e Lama Norbu, mostrando a

Khandro, Lama Tsering e Lama Norbu

Khandro, Lama Tsering e Lama Norbu

presença de nossos mestres nesse encontro abençoado.

Afinal, era o centenário do nascimento de Dilgo Khyentse. E quase 20 anos após sua útlima visita aos Estados Unidos, seu Yangsi, retorna à América para dar ensinamentos, mesmo que ainda jovem, ensinamentos, sim, belíssimos, que ficarão para sempre na memória e coração de todos e que serão objeto de um novo post recheado de novos fatos e fotos.

Então, até lá!

Anúncios

Sobre Marcelo Thiollier

No caminho, felicidade tem outro nome. On the path, happiness has another name.
Esse post foi publicado em Budismo, Ensinamento, Fotos, Mestres, Templo. Bookmark o link permanente.

2 respostas para A Caminho do mestre: meu primeiro encontro

  1. Wevertom Medeiros disse:

    Cool!
    Não entendo nada sobre o budismo , mas me interesso pela região ,quero assistir esse filme ae ..

  2. blogsattva disse:

    Caro Wevertom:

    Obrigado por seu comentário. mas acredito que o mesmo saiu cortado por alguma razão que não detectamos em nosso sistema. Se puder, faça novamente seu comentário, talvez possa ajuda-lo no que parece estar procurando.

    O Budismo não é só uma religião, mas uma filosofia de vida também. Assim, creio não ser necessário entender o budismo para compreender muitos de seus ensinamentos de vida.

    Grato por seguir-nos no Blogsattva e, podendo, recomende-o a seus Colegas; vale a pena ler e ver as experiências aqui descritas, assim como seus comentários.

    Um forte abraço,

    Marcelo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s